Como melhorar a memória, estudar e produzir melhor com o óleo essencial de Alecrim

Na Aromaterapia, o alecrim (nome científico: Rosmarinus Officinalis) é conhecido como “o óleo do estudante”. É um óleo essencial que dá foco, melhora a memória, a concentração e a criatividade, trazendo mais assertividade, e neutralizando a dificuldade de aprendizagem, a estagnação, o tédio e a letargia. Você pode estar pensando que isso é muita coisa para uma plantinha só, não é mesmo?

Acontece que os óleos essenciais têm sim essa característica de carregar consigo diversos componentes químicos, de uma mesma planta, e, por serem extremamente concentrados, podemos usufruir de todos esses benefícios. Pensemos assim: um remédio comum para dor de cabeça, por exemplo, geralmente possui apenas um princípio ativo (ibuprofeno). Já um óleo essencial extraído de uma planta, como o alecrim, é formado por um conjunto de princípios ativos, ou seja, serve para diversas finalidades (e não apenas para cuidar de uma dor de cabeça).

O óleo essencial de alecrim age diretamente no cérebro, e já existem alguns estudos científicos mostrando a capacidade dele de melhorar nossa memória e concentração. Apenas como referência histórica, já em 1578 Henry Lyte no livro “Niewe Herball”, dizia que “Os árabes e seus sucessores das Físicas, dizem que o Alecrim conforta o cérebro, a memória e os sentidos internos (…)”.

A pesquisa

No departamento de psicologia da Universidade de Northumbria, no norte da Inglaterra, os pesquisadores dispuseram 145 pessoas saudáveis de 65 anos de idade ou mais, em três salas: uma onde havia sido colocado o óleo essencial de alecrim, outra com óleo essencial da lavanda, e uma última sala sem nenhum cheiro ou óleo essencial. Os voluntários tiveram sua memória futura testada (aquela que nos faz lembrar de fazer algo, como lembrar de tomar um remédio, por exemplo) antes e depois de estarem nas salas designadas.

As pessoas não sabiam que o aroma na sala era proposital. Quando perguntados, os pesquisadores respondiam que o cheiro tinha sido deixado pelo último grupo que havia usado a sala. Alguns testes simples foram aplicados pedindo aos voluntários que, por exemplo, lembrassem de entregar um livro para outra pessoa dentro de sete minutos, dentre outros testes de memória e também de humor.

Os resultados

Os resultados surpreenderam os pesquisadores. As pessoas que foram testadas na sala com óleo essencial de alecrim, tiveram um desempenho melhor de memória, chegando a uma taxa de 15% maior que os que estavam na sala sem aroma. Já na sala com óleo essencial de lavanda, eles tiveram um aumento significante do estado de calma e contentamento dos participantes, com uma queda da habilidade de lembrar de fazer algo em um determinado horário (como o exemplo de devolver o livro em sete minutos).

O óleo essencial de alecrim deixou os voluntários mais alertas, mais atentos. A memória futura dos participantes teve uma melhora significativa, deixando os pesquisadores bastante otimistas.

“É interessante ver os diferentes efeitos que diferentes ervas podem ter no humor e na memória, e nossa pesquisa sugere que elas podem ter efeitos benéficos, principalmente em grupos etários mais velhos. Se a pessoa for saudável, essa pesquisa sugere que há uma oportunidade de melhorar a memória”, afirmou o chefe do departamento de Psicologia da Universidade, Dr. Mark Moss.

Nos resultados, após os testes, os pesquisadores encontraram alguns traços de compostos químicos do óleo essencial de alecrim em amostras de sangue dos participantes. Um dos compostos presentes neste óleo, o 1,8 cineol, é tido como responsável pelas mudanças no desempenho da memória pois age da mesma forma que os remédios para tratamento de demência gerando um aumento no neurotransmissor “acetilcolina”.

Como funciona

Uma das formas de uso mais frequente dos óleos essenciais, é por inalação, sendo essa também uma das melhores formas de levar uma substância ao cérebro. Quando inalado, as moléculas aromáticas de um óleo essencial chegam rapidamente ao cérebro, onde são reconhecidas pelo nosso sistema límbico, que é o responsável por controlar emoções, funções de aprendizado, da memória e do olfato.

Esse processo todo ocorre sem passar pela nossa consciência racional, ou seja, o seu corpo simplesmente sabe se você está precisando ou não daquele óleo essencial. Se gostamos de um cheiro, é o nosso cérebro nos avisando que aquela substância nos faz bem naquele momento.

Quando ingerimos um remédio por via oral, a substância terá primeiro que ser quebrada no processo digestivo, para depois surtir seu efeito. Na inalação, os compostos chegam rapidamente na corrente sanguínea, já enviando a mensagem ao nosso cérebro. A absorção do óleo essencial pelo sistema límbico, dispara neuroquímicos que podem ser sedativos, relaxantes, estimulantes, etc.

Com a inalação de um óleo essencial, o sistema límbico conduz a informação para outras partes do cérebro e para a glândula hipófise, que imediatamente envia a mensagem para outras glândulas do corpo, podendo ocorrer, no caso do óleo de alecrim, a secreção de noradrenalina, que nos deixa mais ativos e despertos.

Há que se observar, no entanto, que não será apenas no uso de um dia de um óleo essencial, como no caso da pesquisa do Dr. Moss, que uma pessoa obterá todos os efeitos de melhora em relação a sua memória ou outros fatores que deseje cuidar. A aromaterapia é uma terapia integrativa, bastante reconhecida, já utilizada por muitos profissionais da medicina inclusive. Cada ser é único, e receberá a sua forma de utilizar os óleos essenciais de acordo com cada caso.

Outras propriedades do óleo essencial de alecrim

O óleo essencial de alecrim, nome científico “Rosmarinus officinalis”, além de ser bom para a memória e para cansaço mental, também possui propriedades analgésicas, é cicatrizante, estimulante, tônico, sendo também indicado para tratar artrite, enxaqueca e fraqueza em geral.

Os óleos essenciais também podem ser usados visando a parte estética, sendo que o óleo essencial de alecrim é indicado para acne, dermatite, rugas, caspa, queda de cabelos, celulite, etc. Ele atua melhorando a circulação, reduzindo a congestão linfática e diminuindo a retenção de líquidos.

Atenção! Não deve ser usado durante a gravidez, nem por quem sofre de epilepsia e hipertensão. Também não é indicado o seu uso após as 16h, pois ele pode atrapalhar o seu sono (lembre-se que tem propriedades estimulantes).

Outros óleos essenciais que também podem te ajudar

Falando ainda da memória, e de concentração nos estudos, por exemplo, podemos citar mais dois óleos que podem te ajudar:

O óleo essencial de limão (Citrus limonum) – também pode te ajudar a ter concentração, melhorar a memória, a ter foco, consciência; além de neutralizar esgotamento mental. Precauções: por ser cítrico, trata-se de um óleo fotossensível. É necessário o uso de protetor solar caso haja exposição ao sol.

O outro, seria o óleo essencial de hortelã (Mentha piperita) – ele promove clareza mental, estimulando a sua mente de maneira positiva, e neutraliza a fadiga ou o cansaço mental. Precauções: não usar durante a gravidez e amamentação.

Como utilizar?

O óleo essencial de alecrim pode ser usado não apenas para melhorar sua memória, mas para quem está com dificuldades de se concentrar para escrever ou trabalhar em casa, para quem sente a necessidade de ter mais foco e não ficar se distraindo toda hora com redes sociais ou fatores externos, para estudar melhor, etc.

Os óleos essenciais aqui citados não devem ser usados puros diretamente na pele. Para obter os efeitos desejados, você pode utilizar duas gotinhas do óleo escolhido em um colar aromatizador pessoal; outra opção seria usar um aromatizador elétrico ou ultrassônico que vai fazer com que as moléculas do óleo essencial se espalhem no ambiente. Neste caso usar 1 gota a cada metro quadrado do ambiente.

Aqui no Aroma de Flor nós temos todos os óleos essenciais, aromatizadores e muito material de aromaterapia para você ter na sua casa, além de cursos e formação de Terapeutas em Aromaterapia. Contato para informações: (21) 98054-9044

Texto: Ana Carolina Reis – Terapeuta Holística
Revisão: Renate Tirler e Danielle Paulino (coordenadoras da Formação de Terapeutas em Aromaterapia)

Fontes das pesquisas e artigos científicos:

  1. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12690999
  2. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3736918/
  3. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21877951
  4. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/3671550
  5. https://www.theguardian.com/lifeandstyle/shortcuts/2017/may/23/rosemary-herb-choice-students-memory
  6. https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/07/150721_alecrim_memoria_duvidas_fn
  7. https://osegredo.com.br/alecrim-pode-aumentar-a-memoria-em-75-de-acordo-com-cientistas/

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo protegido