[vc_row][vc_column][vc_column_text]Hoje em dia, temos visto muitas pessoas querendo “largar tudo e ser terapeuta” ou viver de Coaching*. Sentir aquele chamado da alma para ajudar ao próximo. Um desejo de poder ensinar algo que possa transmitir clareza, luz, cura, tranquilidade e autoconhecimento. Vontade de ser um guia para auxiliar a caminhada de alguém, para que esta não seja tão dura.

Porém, é preciso estar atento em primeiro lugar a você mesmo. Autoconhecimento na prática. Afinal, como ensinar aos outros sem ao menos provar o sabor?

Você será o seu primeiro “cliente”. Para começar se pergunte: “porque eu quero sair deste emprego/carreira?”. Será que você deseja sair porque as pessoas ali te incomodam, porque você não tem um bom relacionamento com elas? Seria por não concordar com a forma de pensar do seu chefe ou de algum colega de trabalho?

Observe bem quais são as suas motivações. Olhe para dentro, conheça a si mesmo, sinta o que te motiva, se existem medos, mágoas, rejeição, crítica…

Inconscientemente, fugimos daquilo que deveríamos aprender, porque muitas vezes dói, é incômodo, não queremos olhar. No entanto, não adianta fugir pois, aquilo volta na nossa vida de alguma outra forma como, por exemplo, um ou mais clientes que te procurem para tratar um problema ou situação incômoda exatamente igual à sua…

A partir de nossas experiências de vida, da nossa infância, de nossos pensamentos, crenças, da forma como fomos educados, e pela influência das pessoas a nossa volta, nós criamos padrões de acontecimentos. Assim, a repetição de situações vem para que possamos entender o que está dentro, e aprender alguma lição.

Aprender a perdoar; a soltar e entregar para deixar a vida fluir; aprender a amar todos os seres, já que somos todos Um; aprender a nos valorizar, a ter amor-próprio, enfim, as lições são incontáveis. O importante é conseguirmos enxergá-las. Já é o primeiro passo.

Mas então como saber se estou pronto(a) para mudar de profissão?

Reflita, medite, faça uma viagem para dentro de si mesmo. Procure perceber quais situações se repetem, aquelas que você não entende o porquê mas que também não suporta mais lidar. Veja o que é preciso aprender ali. No seu trabalho existe alguma situação que te cause isso?

Seja sincero consigo. Você está fugindo? Se for realmente inconsciente, ou se for muito difícil de admitir para si mesmo, procure alguém para te ajudar. Converse com algum amigo de confiança, desde que não seja alguém muito crítico, e fale a respeito dessa sua vontade de mudar. Alguns insights podem vir de conversas assim. Apenas tome cuidado para não ser influenciado pela opinião alheia, sinta o que é verdade dentro de você.

Encontre uma terapia. Se você deseja trabalhar sendo o terapeuta ou o agente de mudanças na vida dos outros, tenha alguém que possa fazer o mesmo por você. Encontre aquela técnica que te faz bem, o profissional que se conecta com a sua energia, e faça esse acompanhamento. Essa ajuda será maravilhosa nessa decisão de quando seguir o seu chamado.

Quando a mudança for verdadeira, quando for a sua essência te chamando para ser mais um operário da luz, espalhar esse dom pelo mundo, você vai sentir. Desenvolva sua intuição e trabalhe o autoconhecimento sempre que puder. Isso não é algo que pode ser um item riscado da lista “Ok, autoconhecimento já fiz”. É algo que desperta em nós e torna-se um aprendizado constante.

A sua missão aqui neste mundo é evoluir. O seu dom, seja ele qual for, é único pois mais ninguém tem o seu dom combinado com a sua energia, ela é somente sua.

Se o seu caminho é ajudar as pessoas com terapias, seja com o Reiki, Thetahealing, Apometria, Cristais, Florais, Constelação Familiar, Aromaterapia, seja com Astrologia, ou sendo Psicólogo, Coach, Médico, enfim: se esse for o seu chamado, não se apresse. Tudo vem na hora certa.

A quantidade de cursos e técnicas é bastante grande, e pode nos deixar ansiosos e sem saber qual escolher e por onde começar. Vá por onde seu coração vibrar. Tenha também a mente e o coração abertos para desenvolver e criar o seu próprio jeito de trabalhar, de curar e de ajudar. Enquanto está na sua atual carreira ou profissão, use o tempo livre para planejar isso, ler a respeito, criar métodos, além de aplicá-los em você mesmo e em pessoas próximas.

No meu caso, por experiência própria, quando aprendi a perdoar, fiquei livre para a mudança de carreira e de estilo de vida. Não adiantou sair fugindo ou com raiva, mágoa. Entrei num ciclo onde e situação se repetia e voltava em forma de pessoas, relacionamentos, clientes com o mesmo problema do meu.

Mudanças são maravilhosas, e fazem parte da nossa jornada! Viver uma nova profissão, fazendo o que ama, levando seu dom para fora, requer reflexão, autoconhecimento, estudos, tempo… Nós seres humanos temos a mania de querer tudo para ontem, controlar o ritmo do Universo. Mas não é tão simples.

Afinal, se você ainda tem algo a aprender, pode ser que não esteja pronto. Mas se achar que já pode dar o primeiro passo, comece. Suba um degrau de cada vez, e veja como se sente. Faça um curso na área que te atrai, sinta a energia, conheça mais pessoas que pensam como você, vá observando, caminhe sem pressa, não se cobre tanto.

Respire, medite e intua. Você saberá diferenciar a angustia de não aguentar mais viver fazendo um trabalho que não gosta, da fuga inconsciente por não querer enxergar uma lição do Universo. Essas lições são essenciais, e te levarão ao seu objetivo.

A resposta já está aí dentro de você, mas sem pressa, sem desespero… Apenas deixe fluir e boa caminhada!

Namastê!
Ana Carolina Reis
www.evoluirjuntos.com

*Coaching: nesse processo, que não é uma terapia, o profissional (Coach) ajuda a pessoa a chegar ao seu objetivo, seja ele encontrar uma nova carreira, ter uma vida mais saudável, ou qualquer outra meta específica.

Se você se identificou com o texto, e sentiu que precisa avaliar ou reavaliar sua situação, no Espaço Aroma  de Flor dispomos de técnicas para auxiliar o processo de autoconhecimento e direção dentro das Práticas Alternativas ou Integrativas. [/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

1 Comment

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo protegido